Quer saber como economizar energia elétrica e ainda ganhar com isso?


Sua conta de energia elétrica está vindo alta demais, e está apertando o seu orçamento doméstico?
Nos últimos anos, com os aumentos constantes nas tarifas de energia elétrica, as famílias e empresas passaram a dispensar grande parte do seu orçamento somente para pagar a conta de energia.


Nesse sentido, muitas pessoas passaram a buscar alternativas para economizar na conta de energia elétrica, e a energia fotovoltaica, gerada através dos painéis solares foi a melhor solução encontrada nesse momento.

O melhor disso tudo, é que além de economizar com energia elétrica, essas pessoas passaram ainda a ganhar com isso através da regulamentação dos créditos de Energia Solar, conhecida como RN 482/12.

Pode realmente parecer um bicho de sete cabeças, mas é mais simples do que parece, e fizemos esse artigo para esclarecer sobre essa regulamentação.

O que é a regulamentação dos créditos de energia solar?

A RN 482/12 nada mais é que uma regulamentação da ANEEL que estabelece todas as condições para a conexão de sistemas de energia solar fotovoltaica na rede de energia elétrica.

Dessa forma, essa regulamentação esclarece como funciona a ligação entre o sistema de energia solar e a rede elétrica. Assim como a forma de ganhar créditos em energia elétrica para economizar.

Como posso fazer parte do sistema de créditos de energia solar?

A primeira exigência é que você já seja cliente da concessionaria de energia elétrica (CEMIG, CEEE, CESP, Light, Eletrobrás) para você poder fazer parte desse sistema de créditos.

Depois deve-se pedir uma visita de avaliação para a instalação do sistema de energia solar na sua cidade. Será verificado a posição do seu telhado o tamanho e formato do mesmo e o consumo atual de energia consumida.

Assim você já saberá em qual prazo terá o retorno do investimento e poderá se beneficiar diretamente com o sistema de créditos de energia solar.

Qual a potência máxima para poder instalar esse sistema?

Essa geralmente é uma das perguntas mais comuns das pessoas, afinal é preciso saber qual é a potência máxima para fazer parte desse sistema.

Nesse sentido, esclarecemos que a potência máxima para poder instalar um sistema fotovoltaico dentro dessa regulamentação é de 5.000 kWp, o que corresponde a 35.000 m2 de painéis solares. Bastante né?

Quais são as tributações desse sistema?

Essa é uma pergunta bastante pertinente, e para respondermos essa questão precisamos primeiramente entender os tributos, e saber à qual órgão esses tributos correspondem, se é federal, estadual ou municipal.

ICMS

O Imposto sobre circulação de mercadorias é serviços (ICMS) é um imposto de competência do governo estadual.

Sendo que no ano de 2015 o Conselho Nacional da Política Fazendária, através do Ministério da Fazenda, criou o Ajuste SINIEF 2, revogando dessa maneira o convênio que até o momento orientava a tributação da energia injetada na rede.

Nesse ínterim, a decisão sobre a tributação sobre a energia solar que é injetada na rede da distribuidora passou a ser de competência do órgão estadual.

Sendo assim, alguns estados passaram a isentar essa tributação sobre a energia elétrica, mas alguns ainda não o fizeram, como:
• Amazonas;
• Paraná;
• Santa Catarina.

Dessa maneira, para os estados que ainda não isentaram o ICMS, o mesmo irá incidir sobre o crédito gerado de energia.
Para entender melhor, vamos exemplificar, imagine um valor de 18% de ICMS, então, para cada 1 kWh de energia que você fornece para a rede, 0,18 kWh fica para o estado e você será com pensado com 0,82 kWh.

PIS E COFINS

O PIS e COFINS foram isentados da energia da energia solar que é injetada na rede através da Lei 13.169.

Qual a validade desses créditos?

A validade dos créditos é de 60 meses, ou seja, a energia que você gera a mais do que você consome é de certa forma emprestada para a distribuidora.

Através desse empréstimo você ganha um crédito junto à mesma, e tem esse prazo para utilizar esse crédito.

Posso fazer a transferência desses créditos?

Essa é uma pergunta bastante comum, afinal, podem-se passar os 60 meses e você não utilizar esses créditos e nesse caso nada te serviu de “emprestar” essa energia para a rede distribuidora.

Dessa forma, a energia que foi injetada na rede através de uma residência pode ser compensada em outra residência.

Para fazer a realização dessa transferência é necessário que seja realizado um cadastro para esse fim, e que ambas as residências sejam atendidas pela mesma distribuidora.

É importante salientar também, que o novo relógio de luz que é necessário para fazer a compensação da energia é de responsabilidade do interessado e tem um custo aproximado de R$ 400,00.

Como funciona a compensação de créditos em condomínios?

Caso você more em condomínios de casas, é perfeitamente possível gerar a energia através da sua residência e compartilhar com as demais residências pelo sistema de transferência.

Há também a possibilidade de gerar em uma área comum do condomínio e ser dividida entre todas as residências dos condôminos.

Todavia, se for em condomínios verticais é importante avaliar se há no prédio cobertura suficiente para a instalação das placas e se nessa cobertura pega sol o dia todo.

Essa analise vai depender da quantidade de apartamentos e do consumo atual para definir a área de painéis solares.

Autoconsumo remoto, uma solução viável

Se você mora em apartamento, ou tem casa alugada, existe uma solução viável para o seu caso, viemos te dizer que há uma possibilidade.

Se você possuir um terreno, mesmo que pequeno você pode construir um sistema fotovoltaico nele e usar toda a produção de energia dele para abater na sua conta de luz em outra casa ou empresa.

Entretanto é importante ressaltar que o terreno deve estar na mesma cidade e fazer parte da mesma distribuidora de energia.

Gostou das nossas dicas?

Hoje você aprendeu como funciona a compensação de energia e também como você pode fazer para economizar energia utilizando o sistema fotovoltaico.

Em um mundo, onde os recursos ambientais tendem a se esgotar, buscar alternativas de geração da própria energia, além de contribuir com o meio ambiente pode lhe trazer uma enorme economia para seu bolso.

Então, não perca tempo, faça suas consultas e se possível comece o quanto antes produzir a sua própria energia elétrica.

Receba Artigos E Dicas De Decoração Em Seu Email, Grátis!

Fique tranquilo. Não enviamos spam! 🙂

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.